Melhor posicionamento do maxilar é a mudança ideal para funcionalidade e estética

A cirurgia no maxilar também pode ser chamada de cirurgia ortognática. Esse procedimento se propõe em colocar o maxilar do indivíduo em sua melhor posição, contribuindo para a sua qualidade de vida e bem-estar. Com isso, é possível contribuir também para outros setores, sendo o procedimento de suma importância para a estética e uma mordida ideal. Afinal, os números de indivíduos que apresentam algum tipo de desarmonia facial são alarmantes e a cirurgia no maxilar vem, justamente, para reverter isso.

Por dentro da cirurgia no maxilar: procedimento também ganha relevância estética

Apesar de não ser seu principal foco do procedimento em si, a estética também está presente na cirurgia no maxilar. Afinal, ao realizar essa correção, a melhor harmonização do rosto é consequência positiva presente nos resultados apresentados. Indicada para pessoas que possuem algum desajuste na região da face, a sugestão da cirurgia no maxilar mora no, geralmente, crescimento inadequado de alguns dos ossos ali presentes.

Sendo possível citar alguns deles, nesse aspecto. Como:

  • Mandíbula;
  • Maxilar;
  • Queixo;
  • Nariz;
  • Maçã do rosto.

Alterações e desarmonias podem causar outras consequências que precisam ser consideradas

As assimetrias do rosto que servem de indicação para a cirurgia no maxilar normalmente começam a figurar e se anunciar já na fase de crescimento. Portanto, é preciso destacar que além da questão estética, elas também podem causar outros problemas importantes, como retração da gengiva, desgaste na articulação temporomandibular e também artrose dessa articulação. Ou seja, inúmeros problemas da região podem ser evitados, prevenidos e remediados fazendo uso da cirurgia no maxilar como recurso. Porém, é imprescindível contar com um profissional capacitado para tanto, guiando todos os pormenores do procedimento e ajustando as necessidades de cada paciente.

Em relação às contraindicações, algumas questões precisam ser analisadas previamente para que a cirurgia no maxilar possa ser um sucesso. Pensando nisso, por exemplo, distúrbios sistêmicos precisam ser destacados já que não podem receber anestesia geral. Além disso, indivíduos que não podem ter dietas restritivas – necessárias durante a recuperação – também não são sugeridos para a cirurgia no maxilar.

Dr. Alex Claro Guilger

Graduado na faculdade de odontologia de piracicaba - FOP-UNICAMP - (2009) Atualização Básica de Implantodontia na Fundecto (fundação para Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Odontologia- USP). Aperfeiçoamento “ Esculturas Dental Com Resinas Compostas em Dentes Anteriores e Posteriores “ promovido pelo Prof. Ronaldo Hirata 2010/32h Curso enceramento diagnóstico “ Técnicas das Visões” ( Marcelo Giatti) 2010/60h; Curso Intensivo em Estética Adesiva – UNESP (Araçatuba) 2008/40h; Curso Especialização em Prótese São Leopoldo Mandic (Prof.Sidney Kina) Maio 2010/2012.